15/03/2024 Tempo de leitura: 7 minutos

Dexco encerra 2023 com EBITDA de R$ 2 bilhões, considerando a operação de celulose

Valor considera o negócio de celulose solúvel. Mesmo diante do cenário econômico desafiador, a empresa apresentou resultado resiliente

A Dexco, empresa multinegócios de materiais de construção, reforma e decoração, detentora das marcas Deca, Portinari, Hydra, Duratex, Castelatto, Ceusa e Durafloor, registrou EBITDA ajustado e recorrente pro-forma de R$ 1,4 bilhão no ano de 2023, com margem EBITDA de 18,9%. Somado aos resultados do negócio de Celulose Solúvel, representado pela LD Celulose, joint venture com a austríaca Lenzing, o EBITDA foi de R$ 2 bilhões no ano, crescimento de 4% na comparação com 2022. A Receita Líquida foi de R$ 7,4 bilhões no consolidado do ano, queda de 13% na comparação com 2022. O Lucro Líquido recorrente pro forma foi de R$ 649 milhões no ano de 2023, sendo R$ 278 milhões das operações da LD Celulose, queda de 21% na comparação com o ano anterior.

Foram números resilientes, mesmo diante do contexto econômico desafiador para os segmentos de atuação da empresa. “No final de 2023, presenciamos o início da queda da taxa de juros no país, contudo, o Brasil continua com o 2º maior juro real do mundo. Essa queda lenta e gradativa ainda não foi suficiente para beneficiar o setor de materiais para construção, diretamente impactado pelos juros”, diz Antonio Joaquim de Oliveira, CEO da Dexco. Segundo o executivo, o mercado de painéis de madeira apresentou melhora e o segmento de acabamentos, uma redução da tração de queda. “Em suma, o período foi importante para deixarmos a empresa mais preparada para um novo cenário de mercado, após o momento super acelerado da pandemia. Estamos com uma estrutura mais resiliente para os próximos passos”, explica Oliveira.

No quarto trimestre, a empresa apresentou um arrefecimento do ritmo de queda do mercado de materiais para a construção, e um ritmo de venda no setor de painéis consistente. A Dexco fechou os últimos três meses de 2023 com Receita Líquida de R$ 1,9 bilhão (+10,2% comparado ao 3T23 e -2% quando comparado ao 4T22). O EBITDA ajustado e recorrente do quarto trimestre de 2023 foi de R$ 561 milhões, já incorporando os R$ 157 milhões de contribuição da LD Celulose, que operou o ano todo com excelentes níveis de qualidade e ocupação fabril e terminou o 4T23 com um avanço importante na curva de produtividade da operação. O Lucro Líquido do trimestre foi de R$ 168 milhões, já incorporando os R$ 90 milhões de contribuição da LD Celulose (-33% contra o 4T22).

A divisão Madeira, com as marcas Duratex e Durafloor, apresentou EBITDA ajustado e recorrente de R$ 1,4 bilhão no consolidado do ano (+18% na comparação com 2022). No quarto trimestre, o EBITDA foi de R$ 439 milhões, um novo recorde de EBITDA trimestral na divisão, com avanço sequencial de market share de painéis e negócios florestais otimizando a rentabilidade dos ativos. Já a Receita Líquida foi de R$ 4,8 bilhões no ano, redução de 7% na comparação anual. No trimestre, a receita líquida foi de R$ 1,3 bilhão, um crescimento de 3% em relação ao 4T22.

Mesmo com os desafios setoriais no primeiro semestre de 2023, a empresa vivenciou uma recuperação no setor de painéis, e finalizou o ano com o melhor trimestre da história da divisão Madeira, com avanço sequencial em market share de painéis. A estratégia de manter ótima capacidade da divisão, com altos níveis de ocupação fabril e negócios florestais, mais do que compensou os impactos de retração de mercado e ações estruturantes de Acabamentos”, destaca Francisco Semeraro, CFO da Dexco.

A divisão de celulose solúvel, representada pela LD Celulose, joint venture entre a Dexco e a austríaca Lenzing, contribuiu de maneira relevante para o EBITDA anual da Dexco, com R$ 613 milhões. Para 2024, a Dexco segue confiante com os resultados da LD Celulose.

A divisão Acabamentos para Construção apresentou melhora de mix, mas ainda sentiu os efeitos das condições desafiadoras do mercado. A unidade de Louças e Metais, com as marcas Deca e Hydra, registrou EBITDA ajustado e recorrente negativo de R$ 15,6 milhões em 2023. No quarto trimestre, a unidade apresentou EBITDA negativo de R$ 26 milhões. “Fizemos revisões importantes do footprint fabril, conseguimos uma melhor equalização de estoques, e também realizamos uma gestão efetiva de capital de giro, o que proporcionou geração de caixa. No curto prazo, isso impacta em custo e, por consequência, em uma redução do EBITDA, mas para o médio e longo prazos, são iniciativas importantes para garantir que a companhia esteja mais resiliente e forte para o futuro”, explica Semeraro.

Já a divisão de Revestimentos, que atua com as marcas Ceusa, Portinari e Castelatto, apresentou uma melhora gradual de market share ao longo do ano, alavancada por iniciativas comerciais, e apresentou EBITDA ajustado e recorrente positivo de R$ 8 milhões no consolidado anual. No quarto trimestre, a unidade registrou EBITDA negativo de R$ 8 milhões.

Gestão estratégica e investimentos

A Dexco encerrou 2023 com uma redução da alavancagem para 3,1x, impulsionada principalmente pelas iniciativas de geração de caixa no 4º trimestre. “O patamar está compatível com o nosso ciclo de investimentos 2021-2025, que está exigindo muita disciplina na execução dos projetos e foco na rentabilização das iniciativas entregues. Estamos monitorando atentamente o ambiente econômico para tomar as decisões necessárias para garantir resultados saudáveis e fôlego financeiro para a empresa”, afirma Francisco Semeraro, CFO da empresa.

Em 2023, foram investidos R$ 632 milhões em projetos estratégicos, dando continuidade ao ciclo iniciado em 2021. Deste valor foram aportados R$ 300 milhões para a construção da nova unidade de revestimentos cerâmicos em Botucatu (SP); R$ 185 milhões para projetos que visam incrementar a produtividade, melhorar mix e aprimorar a automação na divisão de louças; R$ 94 milhões em startups que buscam transformar o paradigma construtivo e que apresentam forte conexão com a sustentabilidade, por meio de seu Fundo de Venture Capital – o DX Ventures; além de R$ 53 milhões para melhoria do mix de painéis de madeira, desgargalamento fabril e expansão da base florestal.

Os investimentos que estão sendo conduzidos para recomposição e expansão de ativos florestais devem se consolidar, cada vez mais, como um diferencial competitivo, dado que não há vasta disponibilidade para atividades florestais no Brasil. A ampliação da nossa base florestal no Nordeste pode ser geradora de novas oportunidades. Pretendemos chegar em um patamar de cerca de 40 mil hectares, que poderão ser utilizados para novos projetos”, analisa Antonio Joaquim.

Adicionalmente, os movimentos de liability management da Dexco no ano foram bem-sucedidos. Em outubro de 2023, a empresa captou um CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio) no montante de R$ 1,5 bilhão, que contribuiu para o alongamento do prazo médio de pagamento da dívida da companhia em 1,1 ano, e também para que a empresa tivesse uma distribuição mais equalizada da dívida de longo prazo, que passou a representar 83% do endividamento bruto da empresa, o que oferece tranquilidade para a tomada de decisão pela administração.

Revisão da Estratégia de Sustentabilidade 2025

Em 2021, diante de transformações globais em direção a uma economia mais verde, uma sociedade mais diversa e inclusiva, aproximando os aspectos ambientais, sociais e de governança (ESG) para atuar como agente de mudança no mercado de construção, reforma e decoração, a Dexco lançou sua Estratégia de Sustentabilidade 2025 com metas definidas para o ciclo 2020-2025.

Desde então, a companhia passou por diversas mudanças, em um cenário desafiador de mercado que exigiu ações estruturantes, como a revisão do parque fabril e redução do Ciclo de Investimentos 2021-2025. Desta forma, a Dexco conduziu um trabalho de revisão das suas metas, sem alterar as suas ambições, com o intuito de garantir que os compromissos assumidos ainda estivessem alinhados às estratégias de longo prazo da companhia, buscando uma comunicação mais simples e direta.

O processo de revisão, conduzido em 2023, garantiu um olhar crítico e comprometido não só com a mensagem, mas também, com as ações que impactam seus stakeholders. Uma análise qualitativa foi realizada através de estudos de relevância, aderência e viabilidade, considerando as mudanças ocorridas desde então. Em seguida, os temais materiais e prioritários para a Dexco foram cruzados com os ODSs e demandas de novos standards e frameworks ESG.

Setes metas foram entregues antes do prazo previsto, foi realizada a consolidação de metas de negócios em metas corporativas e houve a inclusão de uma nova meta de Relacionamento com Comunidades locais. O documento final da Estratégia de Sustentabilidade está disponível no Portal ESG da Dexco, domínio onde a companhia reúne suas informações relacionadas à sustentabilidade.

Latest news

Dexco abre quarta edição do seu Programa de Estágio, Geração D
16 horas

Leia mais

Dexco anuncia mega flagship em São Paulo
4 dias

Leia mais

Dexco encerra o primeiro trimestre com Receita Líquida de R$ 1,9 bilhão e EBITDA Pro Forma de R$ 555 milhões
4 dias

Leia mais