21/11/2023 Tempo de leitura: 4 minutos

Dexco encerra terceiro trimestre com Lucro Líquido de R$ 152 milhões e EBITDA Ajustado e Recorrente Pro forma de R$ 461 milhões com LD Celulose

No acumulado dos nove primeiros meses de 2023, se considerados os efeitos da LD Celulose, a empresa apresenta Lucro de R$ 481 milhões e EBITDA Ajustado e Recorrente Pro forma de R$ 1,4 bilhão


A Dexco, detentora das marcas Deca, Portinari, Hydra, Duratex, Castelatto, Ceusa e Durafloor, registrou Lucro Líquido de R$ 152 milhões no terceiro trimestre, em linha com o resultado registrado no mesmo período do ano passado se considerada o resultado da LD Celulose no 3T23. Ainda, somados os resultados da LD Celulose no 3T23, o EBITDA Ajustado e Recorrente Pro forma do trimestre foi de R$ 461 milhões, crescimento de 11,0% na comparação com o 3T22, com uma margem EBITDA de 16,3%. Os números comprovam a resiliência da empresa mesmo diante de um contexto econômico desafiador para diversos dos segmentos de atuação da Dexco.

Temos dito que o ano de 2023 tem sido bastante desafiador, mas seguimos focados em iniciativas para melhoria de nossas operações e estamos atuando em nossas diversas frentes para garantir que a Dexco continue atendendo seus clientes e consumidores com alto nível de serviço, com marcas fortes e com um caminho claro para crescer”, destaca Antonio Joaquim de Oliveira, CEO da Dexco.

A Divisão Madeira, que reúne as marcas Duratex e Durafloor, apresentou Receita Líquida de R$ 1,1 bilhão, abaixo da marca de R$ 1,3 bilhão alcançada há um ano, porém com crescimento de 3,6% no EBITDA, que chegou a R$ 285,9 milhões, com margem de 24,9%, também em crescimento. Esse resultado reflete sinais de aquecimento do mercado de painéis de madeira e o sucesso das ações implementadas pela companhia para otimizar o resultado de suas operações na divisão.

O negócio de Celulose Solúvel, representado pela LD Celulose, joint venture entre a Dexco e a austríaca Lenzing, também teve performance positiva no trimestre, com a operação rodando com excelente ocupação da capacidade instalada. Com isso, a Receita Líquida recorrente da operação se manteve estável, com margem bastante representativa, que chegou a 61,3%, e possibilitou a importante contribuição de R$ 173,1 milhões ao EBITDA Ajustado e Recorrente Pro forma trimestral da Dexco.

O resultado obtido pela LD Celulose mostra que temos sido bem-sucedidos na nossa estratégia de diversificação. É importante que a empresa tenha estradas de crescimento variadas, que protegem o seu resultado em momentos desafiadores para algumas das suas unidades de negócios. Por isso é tão importante inovar sempre e buscar maximizar a capacidade de receita dos nossos ativos”, afirma Antonio Joaquim.

A Divisão Acabamentos para a Construção continuou sendo mais impactada pelas condições desafiadoras do mercado. A unidade de Louças e Metais, com as marcas Deca e Hydra, apresentou Receita Líquida de R$ 388,9 milhões, queda de 28,2% na comparação com o terceiro trimestre de 2022. “Estamos implementando ações para adequação da nossa produção e equalização de estoques, o que consideramos um caminho necessário para o futuro, deixando nossa operação resiliente e ágil para poder reagir aos estímulos do mercado”, comenta o executivo.

Já a unidade de Revestimentos, que atua com as marcas Ceusa, Portinari e Castelatto, também continuou em momento desafiador, com queda de 24,2% na Receita Líquida, no patamar de R$ 232,2 milhões.
A unidade também passa por uma importante adequação no parque fabril, para fazer frente ao atual cenário econômico. É importante ressaltar que já foi possível perceber evolução do market share no dentro do trimestre.”, destaca Antonio Joaquim.

Liability Management e sequência no plano de investimentos

A Dexco gerou R$ 163 milhões em Fluxo de Caixa Sustaining no 3T23, suportando as necessidades ao Plano de Investimentos em andamento da companhia e encerrando o 3T23 com alavancagem de 3,5x, com crescimento em relação aos períodos anteriores, em condizente com o cenário do plano de investimentos 2021 – 2025, que vem sendo executado pela empresa.

A Dexco tem empregado medidas de gestão consciente de seu capital nas operações para fazer frente ao Plano de Investimentos e a elevação da alavancagem é natural diante da nossa decisão de concluir o Plano de Investimentos, que visam o crescimento das nossas unidades de negócios. Estamos preparando a Dexco para um novo ciclo de geração de valor”, afirma Francisco Semeraro, CFO da Dexco.

Nos últimos nove meses, a Companhia realizou aportes importantes no âmbito do seu plano de investimentos. Foram R$ 211 milhões para a construção da nova unidade de revestimentos cerâmicos em Botucatu (SP); R$ 127 milhões em projetos de produtividade, melhora de mix e automação de Deca; R$ 37 milhões para desgargalamento fabril e expansão da base florestal; além de R$ 90 milhões destinados ao programa DX Ventures.

Os processos de liability management liderados pela empresa também seguem entregando bons resultados. No trimestre, a Dexco realizou uma bem-sucedida emissão de CRA no montante de R$ 1,5 bilhão, com vencimento final de 10 anos, que será refletida nos resultados do 4T23. Além disso, obteve aumento da sua linha de crédito rotativo (“Revolving Credit Facility”) para R$ 750 milhões.

Atualmente, 76% do estoque de dívida da empresa é de longo prazo, com prazo médio de 3,4 anos e este perfil será melhorado quando incorporada a captação do CRA. Esse cenário traz maior conforto para tomada de decisão e alocação de capital, diante do cenário externo desafiador”, ressalta Semeraro.

Latest news

Dexco lança revestimento inédito, feito com resíduos da produção de louças sanitárias
3 dias

Leia mais

Dexco apresenta maior exposição na Expo Revestir 2024 e enaltece o diferencial de ser uma casa de marcas
3 dias

Leia mais

Dexco atualiza estratégia de sustentabilidade, ratificando suas práticas ESG
4 semanas

Leia mais